30 janeiro 2017

Grande orgulho nos...


... meninos!


Para combater o vazio do calendários futebolístico que a eliminação do Benfica nas meias-finais da Taça da Liga CTT tinha provocado no domingo, resolvi ver o jogo grande em França que opôs o PSG ao Mónaco. Logo, duas equipas com os nossos dois meninos formados no Seixal, Gonçalo Guedes do lado dos parisienses e o Bernardo Silva do lado dos monegascos. Dei por bem empregue o meu tempo. Foi um jogo muito bem disputado e muito bem jogado. Se o conjunto de Emery é realmente dotado tecnicamente, é na equipa de Leo Jardim que salta à vista o maior talento no futebol francês da actualidade: o "nosso" Bernardo Silva. Foi do seu virtuoso pé esquerdo o golo do empate da equipa de Jardim já nos minutos finais de compensação. E, que golo! Um golo que talvez o jovem internacional português, tenha imaginado ainda quando brincava com legos.

Por falar em legos...

Quanto ao Guedes, o miúdo entrou aos 85 minutos, quando o PSG ainda estava em vantagem no marcador, devido à grande penalidade cometida sobre o Draxler e convertida pelo uruguaio Cavani. Entrou para o lugar do alemão e jogou na posição deste, ou seja, como falso extremo esquerdo (o PSG joga em 4-3-3). Ainda foi a tempo de deixar o ar da sua graça. Primeiro num lance cujo remate foi prensado pelo Mendy e depois, numa assistência para o Cavani ficar na cara do golo, mas que não conseguiu dominar a bola na altura da recepção. E, por falar, no camisola 9, ele esteve muito mal no lance do golo do Bernardo, uma vez que deixou fugir o português para o corredor central, onde depois desferiu o golpe final, não apenas na marcha do marcador, mas provavelmente nas aspirações do PSG na revalidação do título nacional do campeonato francês.


De qualquer maneira, os "nossos" meninos estão de parabéns. Estão no topo do futebol europeu neste momento. Estão a evoluir cada vez mais - agora até o Raymond "le Boucher" Domenech chama de génio ao Bernardo Silva, vejam lá vocês - e serão com toda a certeza jogadores de classe mundial. E, tudo isto, graças também ao trabalho desenvolvido pela formação no Seixal. Formação essa, que já foi alvo de rasgados elogios pela comunicação social francesa.



8 comentários:

  1. Ficou tudo dito no seu fantástico post . Inacreditável como um treinador tão experimentado e talentoso como Jesus não apostou num cara com uma cabeça e um pé esquerdo dessa categoria .Até no Brasil um país em que todo o mundo nasce dando toques na bola Bernardo seria considerado um génio. Que pena não ter feito uma ou duas épocas aqui. Ainda por cima o garoto é Benfiquista .Mas acredito que acabe sua carreira no Benfica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É inacreditável quando continuamos a pensar que o Jesus é um treinador tão experimentado e talentoso. Agora, se pensares nele como um treinador tão egocêntrico e cheio de vícios de um futebol de vistas curtas e de muita chico-espertice com negociatas à mistura, percebemos o porquê dele não ter aproveitado jogadores como o Bernardo Silva e outros da geração dele e até de anteriores (David Simão, Miguel Rosa, Mika e Nélson Oliveira são para mim as primeiras vítimas dele).

      Eliminar
    2. Concordo um pouco com o que dizes dos jovens talentos, mas pegando num caso específico, o do Nélson Oliveira, permite-me questionar se foi só JJ quem falhou.

      NO teve de disputar um lugar no plantel com Cardozo, Saviola, uns coxos e uns pernetas e, aqui o cerne da questão, Rodrigo. Eu digo-te sinceramente que via Rodrigo e Nélson como o Saviola e Cardozo respectivamente do futuro do Benfica. No entanto, entre as negociatas do JJ (Jara e Weldon e outros que tais) o Nelson foi-se perdendo. Mesmo no Depor, onde teve o "melhor" empréstimo, conseguiu criar um clima com o plantel e os adeptos que tornaram a sua estadia insustentável. Sem jogar, e parece que a treinar mal, era impossível progredir.

      O Rodrigo não. Foi emprestado, treinou, trabalhou e, mesmo sem muitos golos deixou água na boca no clube. E regressou ao Benfica para ser um dos nossos melhores avançados do consulado de JJ.

      E quanto a primeiras vítimas, a primeira vítima foi um veterano não formado na Luz que se chamava Quim. Ou um jovem formado na Luz chamado Moreira. E tudo por um Júlio César errado. E já nem falo da gestão do dossier Roberto, que esse parece ter tido mais de negócio Vieira.

      É impossível falar-se de JJ e negociatas sem falar de Vieira e negociatas. E aí temos de falar da parceria com o Mendes...

      Eliminar
    3. E esqueci-me de o mencionar no outro post: JJ é tão talentoso enquanto treinador como obstinado e arrogante, virtudes e defeitos que não raras as vezes colidem e se anulam.

      Eliminar
    4. RB, podes não gostar do Nélson Oliveira, mas o que escreves do rendimento dele nos empréstimos e quando comparas com o rendimento do Rodrigo ao Bolton éno mínimo falacioso.

      O Nélson foi emprestado ao Paços de Ferreira e mesmo não sendo titularissimo lá conseguiu escrever a sua história. Falam do empréstimo do Rodrigo ao Bolton como se ele fosse titular lá. Foi apenas um jogador útil aos ingleses. O mesmo que o Oliveira foi nos clubes onde foi emprestado.

      A diferença é que o Jesus acreditava no potencial do Rodrigo e não no do Nélson. No ano em que o Nélson carrega a selecção sub 21 (ou sub20) no mundial da Colômbia em 2011 sabes o que ele recebe de presente? Novo empréstimo. Quem é aposta nesse ano é o Rodrigo. Não fez nenhum sentido isso. Como não fazia sentido nenhum apostar num Filipe Menezes e emprestar um David Simão. Isto já para não falar no Miguel Rosa... tantas desculpas que eu li de muita gente tentando cobrir as más opções do Jesus... e agora percebemos o porquê.

      E, mais, apostar no Nélson Oliveira não implicaria não apostar no Rodrigo pois são compatíveis numa frente de ataque.

      Disseste e muito bem que estes miúdos acabavam por ameaçar os "biscates" do Jesus. Nem quero imaginar quanto dinheiro ele não ganhou extra com comissões como com o Júlio César (não o imperador como referiste, mas sim o poupas da rua sésamo tal era o penteado do moço e que nos custou uma eliminatoria da liga Europa), o Filipe Menezes, o Weldon,o Éder Luiz, o Airton, o Emerson entre outros.

      Eliminar
    5. E, sim, também há muita conivência da direcção encarnada. Sei que eles todos também querem o seu milhão. Mas, há muitas decisões que eu vejo eles terem tomado com aval e pressão do treinador da altura. Sobretudo, depois daquela primeira grande época do Jesus. Essa época deu ao ex-treinador do Benfica capital para poder decidir muito da política de contratações.

      Quanto ao Roberto, ele é um excelente guarda-redes, não tivesse vindo pelo valor que veio e não terem feito uma protecção decente à sua posição. O Benfica anos depois não seguiu em frente na Liga dos Campeões, tendo perdido muito mais dinheiro de quanto o espanhol custou por causa da sua excelente exibição quando estava no Olympiakos.

      Eliminar
  2. Bernardo Silva a rei do Mónaco, já!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ele já é Rei de França, meu caro. ;)

      Eliminar