29 janeiro 2017

Este não engana...


Um olhar sobre possíveis oportunidades de mercado.


Com um André Horta a ter uma temporada marcada por lesões que o impedem de ganhar dinâmica e ritmo de jogo, mas também com um Fejsa a ter que ser gerido com pinças a sua utilização para que não tenha lesões mais graves, passando por um Celis que ainda está a adaptar-se ao futebol europeu e ainda tem pouco tempo de jogo, é normal que os adeptos encarnados olhem para o nosso meio-campo com preocupação, pois só vêem Samaris e Pizzi como opções, isto depois de Danilo ter saído para o Standard de Liège neste defeso de inverno. Há uns que defendem a subida de jovens craques da equipa B que joguem nessa zona do terreno, como são o caso de Pedro Rodrigues (o Pêpê) e o João Carvalho. No entanto, a meu ver o nível de exigência que irão encontrar na equipa principal é muito diferente. Para além do mais, o Benfica precisa de jogadores que possam entrar e apresentar já resultados, apesar de preferir sempre jogadores que tenham potencial para mais tarde poderem ser transferidos, uma vez que o clube tem uma política exportadora.

Sendo assim, o perfil do jogador preferido para aquela posição, tem de ser um jovem, com margem de progressão, mas que já revela um nível elevado do seu futebol para pegar no lugar de estaca. Tecnicamente, pretende-se um jogador que saiba jogar em espaços curtos com os companheiros, mas que também saiba transportar a bola, sendo requisito básico, uma excelente condução da bola com os pés. Por falar em pés, acrescentaria o requisito de ser canhoto (mas, daqueles que também saibam usar bem o pé direito), uma vez que com tantos falsos extremos esquerdos no plantel - caso de Carrillo e Rafa, por exemplo - é importante que o nosso médio-centro tenha capacidade para fazer a diagonal do centro para a esquerda e se necessário, procurar o cruzamento. Por aqui, poderão perceber, que tacticamente procuramos um jogador polivalente, ou seja, capaz de fazer várias posições. E, para tal, terá que ser um jogador muito inteligente na forma de jogar.

Tendo em conta estes requisitos, digam lá se o Mattheus Oliveira do Estoril não preenche os requisitos? É jovem, é canhoto, já está adaptado ao futebol português, é titular da equipa canarinha. E, apesar de ter vindo como falso extremo direito, tem sido uma excelente adaptação à posição de interior esquerdo, no tridente de meio-campo da equipa da linha. Defensivamente muito cumpridor, tanto na reacção à perda rápida que deve ter um jogador de meio-campo na transição defensiva, como também com elevado sentido posicional no momento defensivo puro. Uma capacidade de trabalho que não se reflecte só em termos defensivos, mas que é um prolongar do que ele faz nos momentos ofensivos. Sempre muito esclarecedor e jogando de cabeça levantada, é claramente um jogador acima da média, não fosse ele filho de quem é... Lembram-se do mundial de 94 nos EUA? Lembram-se do escrete canarinho. com a sua dupla de avançados mortífera? Lembram-se no jogo frente à Holanda um desses avançados ter ficado marcado para a história com a forma como celebrou o seu golo? Lembram-se de Bebeto? Pois bem, o bebé que o gesto comemorativo embalava era este Mattheus. E, como "filho de peixe sabe nadar", ele herdou do pai muitas das sua qualidade técnicas, mas acima de tudo, teve um modelo em casa que lhe soube transmitir muitos dos pormenores que fazem os grandes jogadores.

O Mattheus vem de uma das melhores formações de base do Brasil, nada mais, nada menos que a do Flamengo. Tem por isso escola. Não é propriamente um jogador selvagem que só consegue tudo à base do improviso. A sua criatividade está na forma como ele pensa o jogo. Apesar de ainda ter 22 anos é muito maduro na leitura do jogo e isso só nos faz ter ainda mais certeza que tem o necessário para vingar de águia ao peito. Veio para Portugal, não só para ter uma carreira ao mais alto nível, mas sobretudo, para ter mais minutos de jogo e, assim, conseguir evoluir o seu jogo. Para mim, a aposta está ganha. Agora, está na altura de dar outro salto. Para o Benfica seria então "juntar a fome com a vontade de comer".



12 comentários:

  1. Respostas
    1. Ainda para mais filho do Bebeto, seria mais um atractivo para aparecer na Luz. E, o passe dele não deve ser nada elevado pelo que já percebi.

      Já agora, já votaste na equipa encarnada de 2016 aqui ao lado direito?

      ;)

      Eliminar
  2. Muito bem PP. O perfil de que falas é exactamente o que tb penso ser o indicado para o Benfica actual. Mas acho melhor esperarmos bem sentadinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez não... mas, por acaso gostaria de perguntar abertamente o que o Rui Vitória pretende dos seus médios e como ele planeia a gestão dos recursos que tem para aquela zona do terreno.

      Eliminar
  3. Penso que deste nível, é o que não falta na equipa B :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com menos 4 anos de experiência talvez. Acredita que nenhum dos que estão na equipa B, conseguiriam entrar na equipa principal de caras. Teriam que ser todos objectos de projecto. E, neste momento da época, não há tempo para esse tipo de soluções. Este é um momento em que só se recupera, treina-se alguns princípios para corrigir algumas situações e joga-se.

      Eliminar
    2. O pessoal da B é para estar aqui e ali nos 18, nenhum é um Renato (no sentido de que já estão preparados).
      O Pedro Rodrigues se tiver oportundades e o clube certo (será o Benfica) vai dar um jogador extraordinário, o João Carvalho no modelo do Benfica, falta-lhe músculo, se o nosso modelo fosse posse de bola, ambos estavam preparados, não é o caso.

      Eliminar
    3. Não esta temporada. Eu acho muito giro o pessoal que aponta defeitos ao jogo defensivo do Samaris, que eu já tive a oportunidade de abordar esse mito (como no último artigo onde faço uma análise aos erros encarnados - http://o-guerreiro-da-luz.blogspot.pt/2017/01/agora-vamos-perceber-o-que-falhou-e.html ), mas depois querem que o substituto seja um miúdo que por mais do que uma vez nos jogos da B não soube contribuir para assegurar uma vitória da equipa (se tiveres a oportunidade vai ver a quantidade de jogos da equipa B em que acabamos por empatar ou perder nos últimos 15 minutos de jogo).

      Isso revela que os miúdos do nosso meio-campo, não só conseguem ficar focados no jogo os 90 minutos, como tenho sérias dúvidas que aguentam bem os 90 minutos. E, olha que o nível e exigência física da primeira liga e num clube como o Benfica que joga na Champions, é muito diferente.

      Precisas de ter gente neste momento que não seja ainda projectos de jogadores, mas sim jogadores para entrar e carburar.

      Eliminar
  4. Se ele é isso tudo que dizes seria uma boa solução. Alternativa a Pizzi. Eu gosto imenso do Bruno Fernandes que consegue fazer as posições 6 e 8 e é tecnicamente muito evoluído, mas deve custar 5 ou 6 milhões de euros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que acabas por responder ao porquê de não pensarem no Bruno Fernandes.

      Já agora esses 5 ou 6M€ deve ser para preço de muito, mas mesmo muito amigo. Claramente é um jogador que já vale 10M€. Estamos a falar de um jovem, titularíssimo no Calcio... esse, se tudo correr bem, irá ou para Espanha, ou para Inglaterra. Já não passará por cá.

      Eliminar
    2. E votar no melhor onze encarnado de 2016? Já fizeste? Vota aqui na coluna do lado direito.

      ;)

      Eliminar