14 fevereiro 2017

E no final o amor...


Feliz noite de São Valentim! 💗



Espectacular entrada preparada pelo Benfica. Estamos muito fortes, no marketing. Contudo, penso que faltou algo mais alusivo ao dia de São Valentim. Mas, esta entrada tem tudo para ser épica nesta edição da Liga dos Campeões. Muitos parabéns a estrutura do Benfica.


Hoje as papoilas saltitantes provaram que, por vezes, mais do que talento, ou do que inteligência, ou do que raça, ou até do que querer e crer, o que é preciso é amor. É ele que nos faz ir buscar forças onde nem sabíamos que existia no nosso corpo. É isto que quero elogiar. Valeu pelo esforço. Muita coisa há que reflectir sobre este encontro. Muita mesmo. Mas, agora, é tempo de celebrar!


E, haverá melhor presente que este em noite de São Valentim?



Claro que sim, o que virá a seguir!
😈



P.S. 1: E, noutro jogo em Paris, os dois "Valentinos" parisienses contribuíram para o poker sobre o majestoso Barcelona. Parabéns Di Maria, pelo teu aniversário e pelos dois chocolates. E, parabéns para ti também Cavani.



P.S. 2: Parabéns Luisão pelos teus 500 jogos de águia ao peito.



P.S. 3: Mas, assim de tudo, parabéns meu amor!



27 comentários:

  1. Vitória da humildade. O nosso treinador teve o mérito de reconhecer a superioridade do adversário tentando controlar o meio-campo com a entrada do Filipe Augusto que, a meu ver, foi um momento decisivo no jogo.

    Agora o nosso foco tem de estar obrigatoriamente em Braga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muita coisa para falar sobre este encontro... muita mesmo!

      Eliminar
  2. Ola pp.Isto é que foi sofrer.. não percebo como o Benfica deixou os alemães jogarem tanto. Acho que não vamos ter hipóteses de passar esta eliminatória. Valeu o dinheirinho da vitória, e a garra da equipa.

    eliminatória. Valeu o dinheirinho da vitória

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os alemães jogaram o que é habitual, foram perdulários como tem sido frequente em tempos recentes e o Benfica esteve, a meu ver, muito bem face às diferenças.

      Houve sorte em alguns lances, houveram falhas individuais incríveis (não me lembro da última vez que o Fejsa teve um jogo tão mau) e houve também algum azar em muitas saídas rápidas (demérito nosso ou mérito do adversário?) que poderiam ter feito a balança do perigo estar mais equilibrada.

      Eliminar
    2. Não foi o Benfica que deixou eles jogarem. O que vimos foi a diferença entre o futebol germânico e o português.

      Eliminar
    3. Penso que este jogo deveria servir para toda a gente perceber a diferença do futebol alemão com o português.

      Eliminar
    4. Concordo em parte. Teria sido fácil para RV meter a equipa de outra forma e, mesmo com toda a veia perdulária ter a eliminatória arrumada. Ou seja, houve trabalho de RV em limitar as ocasiões do BVB. As ocasiões que mesmo assim conseguiram criar, essas é que são as diferenças de futebóis!

      Eliminar
    5. Não acho que seria tão fácil quanto isso... nós não sabemos ter posse de bola com aquele nível de pressão. De qualquer maneira, gostei muito da forma como a equipa entrou na 2a parte.

      Eliminar
  3. Quando disse ter e eliminatória arrumada digo no sentido de acabar o jogo com o saco cheio. ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ok as diferenças entre o nosso futebol e o alemão são descomunais. Mas isso explica porque é que os lagartos fizeram jogos mais equilibrados com esta mesma equipa alemã? Quando não têm melhores jogadores que nós - bem pelo contrário? Isso explica porque é que não fomos capazes de pôr em causa as fragildades defensivas deles com o nosso contra-ataque e ataque rápido, que até é bem melhor do que o nosso ataque posicional? Isso explica porque é que fomos a jogo à espera que Pizzi e Fejsa fizessem frente a 5 (!) médios de uma das melhores equipas europeias - ou 3, vá, descontando os médios ala? Isso explica porque é que, sempre que fazem pressão alta bem feita contra nós, andamos aos papéis na 1a fase de construção - ao fim de mais de ano e meio com o mesmo treinador?

      Não me interpretem mal: 3a saí do estádio eufórico porque o mais importante foi alcançado - o resultado. O que não invalida que tudo isto me preocupe - porque se tudo isto continuar, é mais provável virmos a ter mais resultados. E não só na Champions...

      Eliminar
    2. Não sei se o SCP fez jogos mais equilibrados, mas tirando quando se defrontam, reservo para o BVB o mesmo tipo de imparcialidade que reservo para o SLB.

      Sobre os jogos com o SCP. Em Alvalade o lateral direito do BVB era Ginter, no início do processo de adaptação, o esquerdo era Passlack, um jovem a dar os primeiros passos como titular regular, Reus estava na enfermaria, assim como Guerreiro, Kagawa foi titular no meio e Pulisic e Dembele os dois titulares. Ah e a dupla de centrais tinha recomeçado a treinar depois de lesão há menos de duas semanas. E no banco estavam 2 guarda-redes, porque não havia mais ninguém. No jogo da Alemanha, duas semanas depois, mais coisa menos coisa, ainda o mesmo cenário de não se ter os mesmos 25 dois dias seguidos para treinar.

      Se o SCP apanhasse Guerreiro-Weigl-Reus em modo "vingança" e a defesa mais experiente (Schmelzer-Sokratis-Bartra-Pisckzek) eu gostava de ver esse equilíbrio.

      Eliminar
    3. @RB comentário inicial:
      O Benfica pode e deve jogar melhor. As palavras do RV no final da partida é também nesse sentido. Ele próprio sabe que o plano de jogo não foi executado de forma eficiente, muito embora tenhamos sido eficazes.

      Eliminar
    4. @Benfiquista Primário:
      Mas que estória é essa de que o Sporting jogou melhor que o Benfica frente ao Dortmund? Mais, quem te disse a ti que o Dortmund se tivesse chegado à vantagem não iria fazer como em Alvalade, ou seja, recuar um pouco e jogar no contra-ataque?

      A defesa do Benfica realizou uma "masterclass" de saber defender de tal forma que o Abaumeyang apareceu apenas duas vezes em 90 minutos e uma delas foi para a marcação da grande penalidade. Já para não falar no Reus e no Dembélé.

      Eles podem não ter melhores jogadores que nós, concordo! Mas, o contexto que eles treinam e jogam, o contexto alemão, fazem-nos ser melhores. Tem tudo a ver com a cultura organizativa e competitiva que vives em Portugal. Lá jogam a 120 à hora, enquanto cá jogas a 60... olha, basta veres que as autoban deles não têm limite de velocidade... 😉

      Podes não acreditar, mas isso é a chave que distingue o sucesso de alguns países, face a outros.

      Se calhar o nosso contra-ataque pode ser muito bom para o padrão nacional, mas para o alemão não...

      Pessoalmente, senti que a equipa executou as coisas com muita dificuldade, apesar do resultado positivo. Os jogadores sabem disso e espero que o RV utilize isso para espicaçar ainda mais os treinos e a exigência.

      Falas do Fejsa e do Pizzi contra 5 médios, mas então o que fazem Salvio, Carrillo e Rafa em campo? A diferença estão na assimilação dos princípios de jogo de uns e de outros e a habituação a um nível mais elevado de competitividade que lhes dão outro tipo de resposta.

      Essa questão do ano e meio do treinador tem muito a ver com o que te falei sobre o contexto em que estás inserido. Por mais que possas insistir com os jogadores para outro ritmo se a oposição não o exigir eles vão estar apenas um nível qb elevado ao dos adversários. O problema é que o ritmo alemão é muito superior. Ainda para mais quando estão a competir na única competição que podem sonhar fazer uma gracinha.

      E a tua preocupação é positiva. Também para mim foi uma espécie de "reality check" do quanto ainda temos, devemos e podemos evoluir.

      Eliminar
    5. Anónimo16/02/17, 16:49

      Os jogos do Sporting com o Dortmund foram mais equilibrados??????!!!!Das duas uma, ou deixaste os neurónios em casa ou ainda não saiste do armário. É tão obvio...

      Eliminar
    6. @RB comentário resposta ao Benfiquista Primário:

      Ora nem mais! E, não esquecer que este é jogo é já dosoitavos dos oitavos de final da Champions e no qual o Dortmund quer ir o mais longe possível para limpar a imagem de uma época muito abaixo das espectativas na liga germânica.

      Eliminar
    7. Caros consócios, por lapso pus o meu comentário como resposta ao RB, quando era um comentário geral a propósito desta discussão. Peço desculpa.

      Confesso que nem vi os jogos dos lagartos, apenas confiei no que toda a gente escreveu sobre os jogos...

      De qualquer forma, não é o ponto essencial. O essencial é tudo o resto de que falo...é sobretudo a soma de vários padrões: futebol deprimente de equipa pequena em todos os jogos grandes e banho de bola em quase todos; ausência de estratégia para a 1a fase de construção contra pressão alta (tirando o chutão para a frente e há-de ser o que Deus queira); ausência de adaptação estratégica ao adversário, jogando sempre com dois médios centro, seja contra o 1o de Dezembro ou contra o Dortmund; pobreza geral de processos colectivos no ataque posicional, com dependência excessiva das individualidades,...

      Serei só eu, o Gordo que vai à baliza, o Ricardo do Ontem..., o Bruno Pereira do Orgulhosamente Lampião e o tipo do Parem Lá Com Isso que vemos estes padrões no nosso futebol?? Será que nós estamos malucos e o Benfica actual tem sólidos processos colectivos no ataque posicional, soluções efectivas de construção face à pressão alta, grande maleabilidade táctica face ao contexto e adversário e um futebol de domínio em posse, ou pelo menos controle do jogo, nos jogos grandes???

      Eliminar
    8. RB Nort¢r16/02/17, 19:05

      @PP
      «A defesa do Benfica realizou uma "masterclass" de saber defender de tal forma que o Abaumeyang apareceu apenas duas vezes em 90 minutos e uma delas foi para a marcação da grande penalidade.»

      Aubameyang aparece 3,5 vezes em posição priveligiada: 2 de bola corrida e isolado, 1 no penalti, 0,5 na bola que o Fejsa perde para o Guerreiro e faz uma paralela perfeita à linha de golo e a que o gabonês pressionado (Luisão? Lindelof?) não chega.

      Apesar do número de ocasiões concedidas, acho que sim, que deu uma masterclass de fechar os caminhos. Há ali uma altura por volta do minuto 30 em que o BVB troca e troca e troca e troca e não consegue entrar durante quase 10 minutos (acaba com o Fejsa a deixar-se comer com o Guerreiro, nada que o RV conseguisse fazer a esse respeito). Desafio alguém a mostrar-me um jogo contra o BVB de Tüchel a conseguir tal proeza de fechar o corredor central durante 10 minutos.

      @BP
      Podemos gostar ou não. Eu não gosto. Eu também gostava de ter um Benfica mandão, que controla o jogo junto à área do adversário... Um pouco como o BVB faz. O Bruno do Orgulhosamente diz isso mesmo, que a proposta do Tüchel é das mais atractivas, é o que alguns círculos do futebol chamam de lírico. Mesmo assim não sei se trocava o lirismo de TT pelo realismo de RV.
      O Benfica de RV é uma equipa realista. E ontem até teve bons momentos que só as diferenças individuais não tornaram momentos mais vistosos. Inclusivamente na segunda parte, ali depois do minuto 70, conseguiu em alguns momentos soltar-se do colete de forças e segurar o jogo junto à área do adversário (depois o Tüchel tira o Reus e o Guerreiro, exaustos, e o BVB parte para o assalto final).

      Estou particularmente à vontade para falar deste jogo e gabar a inteligência de RV na sua abordagem. Como membro da muralha Amarela e Preta sigo regularmente o BVB, já os outros comentadores benfiquistas não sei.

      Eliminar
    9. @Benfiquista Primário:

      Esse é o ponto essencial amigo! Tu tens toda uma imprensa a tentar influenciar a opinião das pessoas. Não podes acreditar neles pois eles estão ao serviço de outros interesses que estão por detrás de clubes como o Sporting e o Porto. Basta vermos os investidores desses clubes. Logo, vão tentar por todos os meios para nos dividirem.

      Óbvio que o Benfica podia jogar mais, mas dizer que em Portugal havia equipa que jogaria melhor contra eles é mentiroso. Se o Porto frente a um Guimarães de remendos joga em contra-ataque e em chutão para a frente, estão a cobrar o Benfica por estar a tentar jogar contra uma das melhores equipas do mundo?!

      Depois não concordo com essa crítica dos 2 médios. O Benfica joga de 3 em 3 dias. A metodologia do treino é baseada no modelo de jogo assente no sistema de jogo de 4-4-2. Por isso seria pior se o Benfica jogasse de outra forma. E, olha que eu acho que "baixamos demasiado as costas" quando optámos por uma estratégia tão defensiva. Estratégia essa que foi tão defendida pela maioria dos especialistas...

      Eu acho que boa parte dessa malta era a mesma que na época passada criticava o processoa defensivo do Benfica quando o RV estava-o a trabalhar de tal forma que depois foi reconhecido pelo Guardiola. E na altura já se via o esboço, obrigando-os a jogar com linhas avançadas, mesmo que os jogadores não estivessem totalmente preparados. Só jogando é que lá iam...

      Eliminar
    10. @RB:

      E os 8 fora-de-jogo que a nossa defesa meteu o ataque do Dortmund? Quantas vezes colocaram o Aubameyang fora do jogo.

      Sobre fechar os caminhos é verdade se bem que podia ter sido muito melhor se o Mitroglou e o Rafa soubessem cobrir o espaço e linhas de passe... uma das coisas que temos de aprender.

      Eliminar
    11. @RB,

      Pois, eu também não gosto. Citando o Ricardo do Ontem, 'o meu Pai não me ensinou a ser de um clube submisso'...além de que, se o Benfica só jogasse à equipa pequena com um Borussia de Dortmund, até podia compreender, mas até em certos jogos em Portugal (demasiados), o Benfica menoriza-se...

      Depois, percebo isso que dizes do lirismo vs realismo. Mas tem muito que se lhe diga...por exemplo: os grandes, em todas as áreas da Humanidade, sempre foram chamados de líricos pelos medíocres e pelos fariseus...de Gago Coutinho e Sacadura Cabral ao Steve Jobs quando começou, de Galileu a Martin Luther King, de Guardiola ao Benfica dos anos 60...sempre foi assim - os que só estão confortáveis na banalidade ficam muito perturbados com os outros...;) mas sempre foram os outros que fizeram progredir a Humanidade...

      Também tenho em Tuchel um dos meus treinadores favoritos, já o inclui aqui no blog numa lista de favoritos ideais para o nosso Benfica, com Klopp, Vítor Pereira, Sarri, talvez Paulo Sousa...

      Eliminar
    12. O Benfica não foi submisso. Acho que se confunde submissão com inteligência. Vou buscar o exemplo das Termópilas. Foi submissão dos gregos defrontarem o poderio Persa onde o terreno os favorecia, chamando o adversário, ou deveriam ter feito uma surtida heróica frente a um exército francamente superior?

      Podemos criticar a postura, por exemplo frente ao SCP o ano passado, frente ao FCP no Dragão das duas vezes que lá foi, mas será mesmo no jogo frente ao BVB que criticamos?

      Estou longe de ser um Vieirista dos sete costados que defende RV porque sim. Se nunca o teria contratado, acho que RV fez por merecer o lugar que ocupa. E a forma realista como abordou o jogo de terça, inteligentemente dispondo a equipa para discutir uma eliminatória tremendamente desequilibrada acho que é de louvar.

      Quem acha que o Benfica podia ser mandão frente a este BVB, pressionar a saída de bola à saída da área deles, ter sistematicamente posse no meio campo adversário, e conseguir situações claras de golo é mais lírico do que Tüchel!

      Eliminar
    13. RB, por isso mesmo escrevi 'se o Benfica só jogasse à equipa pequena com um Borussia de Dortmund, até podia compreender, mas até em certos jogos em Portugal (demasiados), o Benfica menoriza-se...' E não é só com os dois rivais, este ano já vi na Luz pelo menos um jogo de organização defensiva e transição rápida (ok depois de marcarmos, mas...) com um Rio Ave qualquer da vida.

      Claro que não esperava isso de que falas no teu último parágrafo. Mas entre esse extremo e o extremo oposto que vimos - abdicar completamente de ter bola e usar só futebol directo, contra-ataques nem vê-los - acho que havia uma ou outra possibilidade, não achas?

      Quanto a RV, já o escrevi aqui: quero que ele continue, apesar de tudo...excepto se for para substituir por um daqueles que mencionei. O que é muito difícil, bem sei. RV é limitado em termos de hard skills, mas tem um excelente pacote de soft skills - o que hoje em dia, é tão ou mais importante, concorde-se ou não...e sobretudo, tem-nos dado o mais importante- resultados. E eu, mais do que outra coisa qualquer, quero é continuar a ir ao Marquês anualmente, pelo menos até o hexa de 2019 - depois, em 2020, o Braga pode ganhar um campeonato! :D

      Eliminar
    14. «Claro que não esperava isso de que falas no teu último parágrafo. Mas entre esse extremo e o extremo oposto que vimos - abdicar completamente de ter bola e usar só futebol directo, contra-ataques nem vê-los - acho que havia uma ou outra possibilidade, não achas?»

      Recomendo um revisionamento do jogo. Especialmente da primeira parte. O Benfica tentou, e várias vezes, sair com bola jogável. Aliás, é precisamente por o ter tentado e várias vezes que Fejsa foi um dos piores em campo...

      Eliminar
    15. OK RB, expressei-me mal: em vez de 'abdicar completamente de ter bola e usar só futebol directo, contra-ataques nem vê-los', devia ter escrito 'depois de, no primeiro quarto de hora, todas as tentativas de sair com bola terem dado perdas kamikaze perto da nossa área, abdicar completamente de ter bola e usar só futebol directo, contra-ataques nem vê-los'...

      Eliminar
    16. E mesmo assim eu não concordaria! A primeira parte foi um chorrilho. Na segunda parte oferecemos isso mas, lá para os 70/75 minutos começamos a tentar jogar outra vez. O Sálvio cava um amarelo assim ao Durm.

      Após a saída do Aubameyang o jogo esteve muito partido mas o Benfica tentou jogar, algo que só mudou quando o Reus e o Guerreiro saíram.

      Eliminar
  4. @PP,

    Não me referia aos media mainstream, ao Sobrinho e à Cofina etc...referia-me à blogosfera e a bloggers em quem confio, aos quais claramente não se aplica o que dizes dos media tradicionais.

    Sim, o Fruta Corrupção Pancadaria tem um futebol miserável de chutão para a frente, ainda pior que o nosso. E? É suposto isso ser consolador ou relevante para esta discussão? Devo ficar contente porque o FCP teria sido ainda mais humilhado que nós?

    Nessa dos 3 médios é que discordo mesmo. Jogamos de 3 em 3 dias agora, mas não houve uma pré-época em que a equipa técnica prepara o Plano A táctico e um Plano B, para certos adversários e contextos? Uma grande equipa não deve ter um Plano B? O RV quando chegou no Verão passado não prometeu, precisamente, que o Benfica ia deixar de jogar sempre da mesma forma/com o mesmo sistema, que ia passar a ter mais maleabilidade táctica???

    ResponderEliminar