03 abril 2018

GOAT 🐐?


Definitivamente sim!

Esta noite o Cristiano Ronaldo marcou, para mim, o golo mais bonito da sua carreira frente à Juventus de Buffon. Aliás, talvez era a única forma de fazer o gosto ao pé que lhe faltava fazer em jogos oficiais: o golo de bicicleta, ou a chilena, como denominam na América do Sul. 


Os fora-de-série têm aquela tendência de fazer com que as coisas complexas pareçam ser simples de se fazer. Ao contrário do que muitos pensam, não é apenas o talento que está por detrás destes resultados. É muito e muito trabalho. Não há sucesso que seja atingido apenas pelo talento, pois quando o talento fica em casa na cama, é o trabalho que sai para fora e luta.


Esta imagem reflecte exactamente isso, que o sucesso atinge-se não apenas com o talento, mas com muito trabalho. Engraçado, porque ainda no fim-de-semana passado, o Raúl Jiménez mencionou indirectamente, a importância do trabalho (desenvolvido nos treinos) na rabona que serviu o Jonas para o segundo golo na partida frente ao Guimarães. E, quando isso acontece, por mais haters que possas ter, as pessoas irão-te respeitar, inclusive, esses críticos. Por isso, mesmo hoje o CR7 deve sentir-se super realizado. Primeiro, os teus companheiros de equipa, mais do que simplesmente apoiarem, eles acreditam que tu tens a estrelinha...


... depois os teus adversários, que começam por duvidar do teu valor, passam por um período de negação, depois por um período de inveja, até aceitarem-te...



... mas nada suplanta os aplausos e os gritos de "bravo" que se ouviram em Turim, pelos adeptos adversários... Definitivamente, não é para todos. É sim, para o melhor de todos os tempos (Greatest Of All Time)!





P.S.: O CR7 tem talvez a carreira mais bonita da história do futebol mundial, que este verão poderá se tornar num autêntico conto de fadas e história de superação, pois será talvez dos poucos jogadores da história mundial com capacidade de levar a sua selecção a uma conquista do título mundial. Para além disso, acredito que ele ainda poderá elevar ainda mais o seu jogo se adoptar por um estilo de jogo inteligente. Tenho visto nos últimos tempos essa tendência no seu futebol. O Zidane deverá ter o seu dedo nisso, mas há ainda muito por explorar. Por vezes pergunto o que teria sido do Ronaldo se encontrasse um Guardiola como seu treinador...

6 comentários:

  1. Anónimo04/04/18, 01:46

    Um bonito golo, ao estilo do Hugo Sanchez.

    Se fizer um grande mundial e levar a selecção a ganhar (tarefa quase impossível) pode entrar no estrito clube dos gigantes do futebol mundial, fazendo companhia ao Messi, Pelé, Eusébio, Cruyf e o deus Maradona.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já entrou, pelo menos no nível do Eusébio e do Cruyf, assim como o Messi. Falta-lhe o título de campeão do mundo, para entrar no nível de Maradona e do rei Pelé.

      Eliminar
  2. É um monstro de trabalho físico e, principalmente, mental. O Zidane tem sido importante na gestão desta fase da carreira de Ronaldo ao ser mais criterioso no tempo de jogo que lhe dá e nas funções que lhe exige no jogo. Oxalá isso resulte em mais quatro ou cinco anos de CR7 a grande nível. Mas o homem já é eterno.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai sim. E, oxalá que o Fernando Santos saiba fazer o mesmo.
      😉

      Eliminar
    2. Não havia necessidade de ter jogado os minutos que jogou nos últimos amigáveis.

      Eliminar
    3. Ele queria jogar para fazer mais golos pela seleção nacional... mas concordo. Por outro lado, se não tivesse jogado, teríamos perdido ambos os jogos...

      ;)

      Eliminar