01 maio 2016

A mãe...


... da desinformação!


Após a vitória do Sporting frente ao Porto, tem havido uma campanha acérrima por parte da parte instalada por querer que os projectos de Sporting e Porto resultem no futebol nacional. Faço aqui um pequeno parêntesis para explicar a diferença desses projectos face ao do Benfica e que explica bem a agressividade excessiva desde o início da época para com os comandados de Rui Vitória.

Tanto o Sporting como o Porto são basicamente clubes "testa de ferro". São máquinas de fazer dinheiro para certos grupos de interesse. Em Alvalade, basta entendermos quem está a financiar o Sporting ou quem está a perdoar juros de empréstimos para perceber quem realmente manda lá. A intenção é simples. Assim como Ricardo Salgado conseguiu desviar centenas de milhões de euros para offshores durante vários anos, para ele gastar esses milhões, terá que fazer regressar à casa de partida... que melhor máquina de lavar dinheiro que um clube de futebol que na sua actividade financeira está constantemente em comunicação com os paraísos fiscais através das transferências de jogadores? Já lá em cima, na Campanhã, isso já se faz há muito tempo. O presidente leonino ao ver a riqueza acumulada durante anos do presidente dos dragões, por este tipo de organização, pretende fazer o mesmo. Isto parece-me óbvio. Tornar-se milionário à custa do clube e mesmo assim passar na rua e os seus adeptos louvarem-no como se fosse o salvador, é a visão mais próxima de paraíso para gente do "vale tudo". Já na Luz, o modelo é diferente. Não é que o presidente do Benfica não tire dividendos para si. Não sou ingénuo a esse ponto. Mas, aqui não há a política de jogo sujo de bastidores. Há sim um projecto empresarial para o clube que o ditará de competências profissionais ímpares a nível nacional e até mesmo mundial. Há o tentar criar uma situação "vence-vence" que seja sustentável. Já nos outros, essa sustentabilidade é para quem venha a seguir e a postura no meio é totalmente selvagem e pequena.

É exactamente por estar em jogo muito dinheiro e um estilo de vida para muitos que o jogo de futebol desta liga nacional está cada vez mais a ser disputado fora das quatros linhas. Infelizmente, para todos os verdadeiros amantes da modalidade. Se atendermos ao facto de que boa parte dos grupos de informação nacional pertencem directa ou indirectamente à maioria dos patrocinadores e investidores de Alvalade e da Campanhã, percebe-se o porquê da caixa de ressonância ruidosa com que todos nós estamos a viver desde o início da temporada. Esta (des)informação constante é talvez o nosso maior inimigo nesta temporada. Pessoalmente, penso que a postura de comunicação encarnada tem sido excelente. (Haverá sempre quem pense doutra maneira, porque a comunicação depende muito do interlocutor.) Agora, é importante que nesta fase de grandes decisões, não nos deixemos levar pela propaganda.

Um bom exemplo desta, é o que está a acontecer nesta semana. O Sporting julga-se que merece ser campeão porque dizem eles que jogam melhor que o Benfica, isto tendo por base os resultados nos clássicos esta temporada. Pois é... É verdade o que o Jesus diz que ganhou 5 clássicos em 6. No entanto, o que nós Benfiquistas deveríamos reforçar, é que aquele que perdeu, é precisamente aquele que nos coloca à frente deles na classificação. Assim sendo, haverá algo mais justo que isso?! O problema é que aceitando isso, seria aceitar a culpa própria de toda uma época em que deixou todas as outras competições e colocaram toda a carne no assador da 1ª liga e mesmo assim, no momento mais importante da temporada falharam redondamente em sua casa. Numa sociedade de informação imparcial seria este o raciocínio que colocariam à frente do arrogante treinador leonino. Mas, como vivemos numa era de enorme propaganda...




P.S.: Quero aproveitar para desejar um feliz dia da Mãe a todos os meus leitores e leitoras.

Sem comentários:

Publicar um comentário