21 dezembro 2016

Hoje é para distribuir presentes...


... pelos Benfiquistas!


Jogamos hoje o último encontro antes do Natal e num regresso ao estádio da Luz, depois de dois jogos fora (em Belém frente ao Real de Massamá para a taça de Portugal e no Estoril frente aos locais para a 1ª Liga). Sendo assim, queremos despedir para as mini-férias de Natal com uma vitória e uma exibição segura sobre o Rio Ave. A equipa caxineira vem à Luz à procura da sua 5ª vitória consecutiva e com hipóteses de ficar a um ponto do Sporting em caso de vitória neste final de tarde. Portanto, é de esperar grandes dificuldades do Benfica para desmontar a equipa compacta que o ex-técnico da equipa B do Porto tem preparado. Advinha-se uma equipa que irá ser muito "rígida" nos lances de bola dividida, por isso é importante estarmos mentalmente preparados para isso e também para uma atitude passiva da equipa de arbitragem perante estes comportamentos. Aliás, é algo que tem sido recorrente, sobretudo, desde o confronto do "caldeirão". Queria apenas destacar um ponto que por vezes não é reforçado, mas que para mim causa sempre uma grande interrogação e que se prende com o discurso do técnico adversário Luís Castro, que de forma soberba diz «não estou à espera que Rui Vitória me surpreenda». Imaginemos que essa afirmação tivesse sido proferida por alguém do Benfica... teria caído o Carmo e a Trindade!


Mas, o nosso treinador é uma pessoa de uma classe ímpar na actualidade do futebol nacional. Responde ao técnico caxineiro de "salto alto" da seguinte forma: «O Rio Ave já mostrava qualidade antes de o Luís [Castro] ter entrado». Pumba! Assim de forma extremamente elegante e com sem tirar os pés da terra, acaba por colocar o treinador adversário em sentido. Depois continua com: «Quatro seguidas, mas isso não muda em nada o nosso foco. Sabemos bem quem vamos encontrar, a forma como jogam e como vão apresentar-se. Vai ser uma equipa dura, com jogadores de qualidade, alguns deles muito estáveis no clube». Ou seja, está completamente focado neste jogo e no que o adversário pode fazer na partida, mas: «Vamos jogar na Luz, com uma moldura humana muito boa e é sempre difícil jogar aqui. Estamos preparados para o jogo, respeitando o adversário mas não mudando a nossa abordagem». Mais nada Rui!


Relativamente à convocatória para este encontro, manteria o onze que entrou frente ao Estoril, apenas com uma mudança: Lisandro por Luisão. Penso que precisamos de um jogador agressivo logo no primeiro momento de reacção à perda de bola, para que os avançados do Rio Ave não consigam se virar para o jogo, e com isso a nossa linha subida juntamente com as restantes linhas compactas sejam capazes de recuperar imediatamente a posse de bola. Outra diferença que implementaria seria o posicionamento de Cervi, Guedes e Rafa. O argentino seria extremo esquerdo puro com comportamentos de ala durante esta partida. O Gonçalo Guedes seria um extremo direito com comportamentos de avançado interior direito ao longo dos 90 minutos. Já o Rafa, seria o segundo-avançado da equipa, apoiando o Raúl e aproveitando os espaços criados por este. No fundo, estes posicionamentos servem para a equipa poder rodar no sentido anti-horário transformando o habitual 4-4-2 num 3-4-3, como tinha defendido antes do encontro com o Estoril. Notas finais: é importante que Rui Vitória dê tempo de jogo a outros jogadores. Eu daria a Jonas uns bons 30 minutos de jogo. Daria também tempo de jogo a Samaris e a Zivkovic. Mas, consoante o rumo do encontro poderia também fazer entrar o Mitroglou ou até mesmo o Jardel. Do lado do Rio Ave, vou destacar 4 nomes, 3 para termos de baixo de olho as suas evoluções e um deles que certamente será figura. Este último é o guarda-redes Cássio, pois sempre que vem à Luz faz grandes exibições. Quanto aos outros três, são eles o nosso conhecido Roderick Miranda (que está feito um belíssimo central, muito sólido a defender e seguro com a bola nos pés), o jovem talentoso médio-centro/defensivo esquerdino Filipe Augusto e o jovem extremo canhoto Gil Dias que faz magia no último terço do terreno. Estes são três hot prospects que devemos ter de olho, pois têm muito futuro.


O meu onze encarnado frente ao Rio Ave, é o mesmo que
defendi frente ao Estoril, incluindo a estratégia.

Sem comentários:

Publicar um comentário