16 novembro 2014

Mais um recorde estabelecido


Mais uma importante vitória na era de Fernando Santos. Mais um golo do inevitável Ronaldo. Mais um recorde quebrado para CR7.


Pouca juventude e muita veterania
Fernando Santos tem sido inteligente na forma como tem tentado dar a volta a um grupo de trabalho que estava algo deserto de ideias aquando da era de Paulo Bento. As entradas de Ricardo Carvalho e Tiago vieram dar outra qualidade à nossa selecção nacional. Sobretudo, o central português!

Poderão pensar que o rejuvenescimento da selecção deva ser colocando uma data de miúdos novos a jogar com a camisola das quinas. Bem, de facto, isso seria uma das hipóteses. No entanto, seria a mais correcta? Penso que não, pois durante algum tempo a equipa, por mais talentosa que fosse, iria ressentir-se da falta de experiência desses atletas. Até poderíamos jogar bem, mas provavelmente iríamos falhar pelos nervos, pela desconcentração ou até mesmo pela ingenuidade. É por isso, que compreendo a chamada de vários veteranos à selecção nacional. Mesmo que muitos deles não tenham talento, nem qualidade para lá estarem.

Também é por isso, que percebo o porquê do Santos colocar um ou no máximo dois jovens jogadores no onze. É que estes, numa estrutura bem montada, poderão adaptarem-se muito melhor e mais rapidamente que noutro tipo de situações. Ontem a exibição do miúdo luso-francês, Raphaël Guerreiro, foi um bom exemplo do que escrevi. Ele conseguiu uma boa excelente exibição, não só porque tem imensa qualidade, mas porque estava numa estrutura bem montada e alicerçada.


4-2-3-1, 4-4-2 ou 4-3-3?
As dinâmicas de Ronaldo, Danny e Nani fazem com que o sistema táctico nacional seja muito híbrido, saltando de um 4-2-3-1 para um 4-4-2, com extrema facilidade. A meu ver, isso só facilitará a potenciação de um Ronaldo, e com isso, melhorar o futebol da nossa equipa. Já que falamos do ataque, gostava de realçar que a meu ver o Hélder Postiga deverá estar de saída da selecção nacional ainda nesta fase de qualificação. O que ele oferece à equipa é muito pouco em termos técnicos e tácticos. O único motivo que vejo na sua convocatória, talvez seja o de fazer com que o Éder ganhe algum tempo para soltar o seu futebol na selecção nacional. Aliás, ontem foi notória claras melhorias deste robusto avançado. Faltará é um pouco mais de talento... mas, talvez sejam ainda os nervos!

Não gostei da dinâmica entre Tiago e João Moutinho. Ao jogador do campeão espanhol, falta um "Gabi" ao seu lado. Um jogador mais posicional, e que seja física e tecnicamente dotado. Será este jogador um Miguel Veloso? Um William Carvalho? Um André Gomes? Um Pedro Tiba? Ou até mesmo um Rúben Amorim? Pessoalmente, gostava de ver o André Gomes e o Tiago como duplo pivot de meio-campo, ou até mesmo o Tiago fazendo parelha com o Miguel Veloso. Quanto ao jogador do principado, falta-lhe alguém mais pendular (Miguel Veloso? William Carvalho?), que lhe garante a protecção defensiva quando o camisola 8 das quinas faz as suas incursões com a bola controlada.

Na defesa, o retorno de Bosingwa à selecção resultou num "nim" (nem sim, nem não) exibicional. A meu ver o lateral direito não esteve mal, mas não deslumbrou. Quem parece ter pegado de estaca foi o Ricardo Carvalho. Que diferença em termos de segurança defensiva com este na equipa, por comparação com o Bruno Alves, por exemplo. É como da noite para o dia! O Pepe garante controlo de profundidade e o Ricardo Carvalho o controlo na antecipação. Uma dupla que funciona às mil maravilhas. Resta dizer que estou curioso pela estreia de José Fonte no eixo defensivo. E, por falar em estreias defensivas, o que dizer do talentoso Raphaël Guerreiro? Espectacular! Com este miúdo e com Elsieu e o Antunes, penso que Fernando Santos poderá libertar o Fábio Coentrão para funções mais ofensivas, como extremo esquerdo, por exemplo.

Quanto à baliza, Rui Patrício entre os postes e confiante é um dos melhores. Para mim, o problema dele reside no seu jogo de pés. Sempre que lhe fazem um passe atrasado, ele acaba por transparecer insegurança, ao fazer um passe em dificuldade, ou a mandar a bola para a bancada. Se conseguir trabalhar este capítulo do seu jogo, temos guardião para outros voos. Depois temos um Beto e um Anthony Lopes. Este último tenho muita curiosidade para vê-lo jogar.

Foi interessante verificar neste encontro como Portugal jogou os últimos minutos da partida. Com receio de sofrer um golo já no final do encontro, Fernando Santos, colocou William Carvalho em campo e retirou o desgastado Nani. A partir desse momento, Portugal assumiu por completo um 4-3-3, com Carvalho a pivot defensivo e Tiago e João Moutinho como médios interiores.


Ronaldo + Nani + Quaresma + ? = Quarteto Titular
A meu ver, as recentes exibições de Quaresma fazem com que o seleccionador nacional equacione verdadeiramente a sua titularidade na equipa. A sua luta será com a de Danny. Mas, se este jogar, o Nani será desviado para a ala. Para mim, o Nani é o melhor jogador que temos para a posição atrás do avançado da equipa (ou ponta-de-lança). Está em melhor forma que o Danny. O Ronaldo, é o nosso melhor avançado e jogador, logo deve ser sempre o titular. O Postiga pelo que demonstrou e demonstra, não aguentará muito mais tempo na equipa. Éder poderá ser uma solução para a quarta posição, fazendo deslocar o Ronaldo para a extrema esquerda. Contudo, penso mesmo que com um canhoto no ataque, poderia ser criado um quarteto muito dinâmico na frente de ataque. A minha ideia seria a de colocar o Fábio Coentrão a extremo esquerdo. O caxineiro pode inclusive fazer de falso extremo direito, nos jogos em que Portugal é claramente superior ao adversário, e utilize laterais ofensivos.


Outras soluções
Já falei de André Gomes no meio-campo. O William Carvalho já está lá. Faltará para breve uma convocatória para Bernardo Silva. Este sim, poderá trazer uma ligação entre meio-campo e ataque mais fluida e harmoniosa. Não esquecer de Rúben Amorim e Manuel Fernandes. Penso que o Tiago será apenas uma solução transitória, muito devido a estes dois...

Na defesa, penso que o Bosingwa é uma solução tipo Postiga, ou seja, de transição. Tal como será Bruno Alves. Para a direita, penso que o Fernando Santos, já poderia ter convocado o André Almeida. O Cédric deverá ser a opção mais ofensiva, isto até Silvio recuperar no Benfica. José Fonte é claramente opção para render Pepe. Rúben Vezo para render o Ricardo Carvalho. No entanto, penso que ganharíamos muito na qualidade da primeira fase de construção de jogo se recuássemos o Miguel Veloso para essa posição. Penso mesmo, que o jogador português e a selecção ganhariam imenso com tal mudança. A lateral esquerda seria onde pessoalmente mais alteraria. Em vez de colocar lá o Fábio Coentrão, colocaria o Antunes (mais defensivo) e o Guerreiro (mais ofensivo). O Coentrão e o Eliseu seriam apostas mais para o ataque e meio-campo.


CR 23
Mais um recorde quebrado pelo capitão da selecção nacional: são já 23 golos em qualificações para os campeonatos da Europa de selecções. Será este mais um número rumo à esperada bola de ouro? 


Sem comentários:

Publicar um comentário