27 janeiro 2016

Nivelação, recuperação, integração...


... continuação na Taça da Liga! Que mais podemos pedir?

Nivelação
Em Dezembro já tinha alertado para a estratégia de nivelação do grupo de trabalho por parte da equipa técnica de Rui Vitória, que agora está a dar frutos. Para quem o criticou tanto no início da época por não ser a sua primeira escolha para a posição de treinador, mas também para aquele que o não considera como treinador, Rui Vitória vai bofeteando de luva branca todos eles, com estes sinais de extrema competência na liderança deste Benfica. É que já não é apenas no discurso que o Rui Vitória goleia os adversários. Agora, também no campo e na metodologia de treino. Reparem bem nas exibições de Lindelöf, Renato Sanches, Gonçalo Guedes e Talisca, só para nomear alguns exemplos. Comparar as suas exibições há uns meses atrás com as de ontem é como querer comparar a noite para o dia. Nada a ver! Não é à toa que ontem quando a câmera apontava para o banco do Benfica, lá víamos o técnico encarnado com um brilhinho nos olhos. E não é para menos! O Rui tem de estar muito orgulhoso pelo trabalho que tem feito com estes jogadores.

Recuperação
As más línguas irão dizer que o Benfica jogou com cerca de 4 titulares ontem à noite, como que tentando desvalorizar o feito frente a um Moreirense de suplentes. Estou a falar de 4 titulares do suposto melhor onze teórico do início desta temporada. Os 4 são o Sílvio (depois da saída de "Mini" Pereira seria ele o que teoricamente iria ocupar a posição de lateral direito), o Jardel, o Samaris e o Nico Gaitán (cujas titularidades transitavam da época passada). Mas, se olharmos para estes 4, apenas o Jardel não está em recuperação. Todos os outros três estão. E havia mais jogadores no onze nessa situação, como por exemplo o jovem Nélson Semedo. Ou seja, o Benfica acabou por alinhar ontem com uma equipa de reservas recheada de titulares que estão em recuperação e que nem sequer estão a 50% da sua capacidade máxima, como é o caso do Sílvio e do Semedo que vêm de prolongadas lesões, do Samaris que vem de abaixamento de forma e está a procurar ganhar forma e do Nico Gaitán, que também vem de lesão complicada. Também nesse aspecto foi um êxito este encontro.

Integração
O jogo ainda deu para integrar 4 jogadores em fases distintas de integração: Ederson, Jiménez, Carcela e Grimaldo. O internacional marroquino já está mais integrado, mas foi importante ontem continuar a ter minutos de jogo. Pessoalmente, cada vez está mais entrosado com os colegas e está a dar-me um gozo particular assistir ao seu jogo do qual sou adepto. E quanto ao jovem lateral esquerdo espanhol, fez a sua estreia como suplente utilizado e já deu para ver alguns pormenores do seu jogo ofensivo (excelente capacidade técnica ao nível do cruzamento e aquela procura de jogar em equipa tão à imagem do Barcelona). Quanto ao ponta-de-lança mexicano está cada vez melhor. Ontem fez o gosto ao pé, embora o defesa do Moreirense não o tenha deixado a bola balançar das redes. A meu ver, falta-lhe confiança apenas, que só chegará com os golos. Por isso, lamentei a excelente defesa do Nilson ao que seria o seu segundo golo no encontro. Ao contrário de muita gente, acho que as movimentações dele são super importantes, porque arrastam e confundem marcações. O Talisca ontem beneficiou imenso disso, tal como o Jonas na Madeira frente ao Nacional. São pormenores que passam despercebidos aos críticos que não esquecem os 9M€ que nos custou. Sobre o Ederson, que segurança este miúdo tem com os pés. Contudo, acho que poderia ter feito mais qualquer coisa para evitar o golo de honra do Moreirense... ou então estou apenas a ser demasiado exigente.

Goleada com nota artística
O resultado final foi 1-6 para o Benfica, mas não estou-vos a enganar se disser que poderia ser muito mais. O Benfica, mesmo com uma equipa repleta de suplentes de suplentes (se estivermos a comparar com o tal suposto melhor onze titular do início da temporada) apresentou uma qualidade de jogo enormíssima. E essa qualidade não foi apenas fruto da maior qualidade individual. É importante realçar isso, pois vi foi uma equipa a jogar com princípios de jogo muito bem definidos e muito culta a nível táctico no terreno. As movimentações do quarteto da frente foi algo muito bem feito mesmo. E a pressão que a equipa fazia na saída de bola do Moreirense já mais perto do final da 2ª parte do encontro, numa altura em que Jiménez pressionava o guarda-redes Nilson e as restantes linhas de passe estavam tapadas pelos jogadores encarnados, obrigando-o a jogar mal? Tudo isto são pormenores de muito trabalho de treino que mais uma vez quero realçar, até à luz da crítica que Rui Vitória tem muitas vezes sido vítima. Quais os melhores golos da noite? O "show" do N1c0, o "chapéu" do Raúl e a "banana" do Talisca.

Continuamos na Taça da Liga
Onde os que dizem-se maiores rivais do Benfica já foram eliminados, o Benfica continua em frente nesta importante competição. O que não falariam se o Benfica não seguisse em frente... e agora comparem com o que não falam pelos outros não seguirem. Não tem nada a ver! Realçava também a importância da gestão do plantel do Benfica nestas competições e da equipa nunca ter tido uma atitude relaxada ou de desrespeito perante os restantes adversários. Isto também mostra a massa de que é feita um verdadeiro campeão. Ah! E já estamos nas meias-finais da Taça da Liga!






P.S.: O suposto melhor onze titular encarnado teórico no início da época, que falo no texto é: Júlio César na baliza, quarteto defensivo formado por Sílvio, Luisão, Jardel e Eliseu, quarteto de meio-campo formado por Salvio, Samaris, Pizzi e Gaitán, e na frente Jonas e Mitroglou.

17 comentários:

  1. Excelente exibição!

    Não há nada a apontar quando tudo corre bem. O destaque resumidamente vai para o golaço de Gaitán.

    Independentemente desta competição ser ou não desvalorizada pelos nossos adversários, quero ver o Museu Cosme Damião da minha casa ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para mim houve três golaços: o primeiro do Gaitán, o do Jiménez e o último do Talisca. Se o golo do Gaitán foi um autêntico "show", o golo do Talisca foi um remate brutal de um ângulo apertadíssimo frente a um guarda-redes muito experiente.

      Quanto à taça, também eu a quero no nosso museu no final da temporada. ;)

      Eliminar
    2. O Talisca já nos tem habituado a golos destes. Estiveram é perdidos durante mais de um ano. Agora regressou.

      Eliminar
    3. Regressou e muito à custa da gestão e evolução conduzida por Rui Vitória. Vi coisas que há três meses não via, como por exemplo passes de primeira a meio-campo.

      Eliminar
    4. Sem duvida. Está a fazer sobressair a sua capacidade. Admito perfeitamente que errei na minha opinião acerca dele, mas também nunca o culpei por nenhuma derrota apesar de o ter achado fraco e ter preferido Marco Silva, outro grande treinador. Não foi só o Talisca que evoluiu como também o Pizzi (para mim o caso mais flagrante) já para não falar nos jovens.

      Eliminar
  2. Gostei particularmente do Guedes e do Talisca, que pareciam um pouco amorfos nos últimos jogos . Sou fã do Guedes , acho que tem um potencial tremendo e espero que continue a ter oportunidades e a aproveitá-las . Não sou assim tão fã do Talisca . Ainda não me convenceu em nenhuma posição mas não posso esquecer que se trata dum miúdo e que precisa de trabalho específico, em termos físicos, e não me refiro só à velha questão da falta de caparro. Acho que o Grimaldo devia ir jogando na "B" , seja alternando com o Rebocho , seja jogando a extremo. Carcela é craque . Será que vai ser titular no próximo jogo ? Carcela - Pizzi - Gaitan , quem sairá ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São ambos miúdos. Estão a passar aquela fase em que percebem que para dar o salto para outro nível futebolístico a relação deles com o jogo não pode ser só "eu+bola vs adversário" mas sim "eu+colegas+bola vs adversário".

      Para isso é preciso saberem ler o jogo antes da bola chegarem aos seus pés. E isso é onde eles estão a evoluir espectacularmente, e ainda bem. ;)

      Relativamente à tua nota sobre o físico do Talisca, mais do que tudo ele precisa é de saber usar o físico que tem. Antecipações, cortar linhas de corrida dos adversários, proteger a bola do choque,... ainda joga um pouco de pantufas não é?

      Quanto ao Grimaldo, por mim é irem dar-lhe oportunidade a ele e ao Rebucho quanto à posição de 4º lateral, pois o Sílvio consegue fazer ambas as posições.

      Terminas com uma boa pergunta. Por mim, o Carcela seria o titular juntamente com o Pizzi, com o Gaitán a entrar na segunda parte. É que temos de ver uma coisa, apesar do enormíssimo jogo a meio da semana do argentino, ele não tem jogado à mais de um mês. Convém que as cargas sejam limitadas e sempre em crescendo. Começar com 180 minutos por semana (2 jogos por semana) e depois sim ir aumentando até os 270 minutos semanais (3 jogos por semana).

      Eliminar
    2. Extremos não nos faltam e todos de qualidade. São as chamadas dores de cabeça desejadas.

      Quanto a mim metia Pizzi e Gaitán, na segunda parte entrava o Carcela. Como diz o PP o argentino está com pouco ritmo. Mas por mim seria melhor entrar a matar com os rasgos do Gaitán e do Pizzi e depois sim entrar o Carcela para segurar mais no ataque. Nestes estádios não é como no estádio da Luz... aqui é fundamental entrarmos bem, com golos e a pressionar alto. Se entrarmos mal dificilmente nos endireitamos e começa a tornar-se dificil penetrar na defesa cada vez mais fechada do Moreirense. Daí a minha escolha.

      Eliminar
    3. Kamikaze, em termos de rasgos individuais, entre o Gaitán e o Carcela não há grandes diferenças.

      Eu preferia entrar com o argentino numa fase posterior para que ele pudesse defrontar adversários mais desgastados e como tal num nível físico mais baixo e ao nível do actual do Nico.

      Eliminar
  3. POR FAVOR NÃO PERCAM
    JÁ SABEMOS PORQUE FOI CONVIDADO PELO BRUNO DE CARVALHO
    O VOO DO JARDEL
    http://videos.sapo.pt/7FqCyi889kbEmC3drAK2

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse enterra-se cada vez mais. O que a falta de cabeça não faz.

      Eliminar
  4. O problema do Jimenez não é falta de tempo para se integrar. É apenas uma questão meramente qualitativa. É demasiado fraquinho para um clube como o Benfica. Um Jara 2.0.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é não jorgen80. Tem um pouco de paciência e tenta apoiar. Vais ver que ele vai-te dar ainda muitas alegrias.

      Eliminar
  5. Depois, é preciso ver o que Carcela dá em jogos de maior exigência defensiva. Gosta muito de ter a bola, mas sem ela, ainda me deixa algumas dúvidas. Talento, tem, claro.
    Talisca, por outro lado, deveria ser mandatório a sua aposta a número 10. É ali, numa de médio-ofensivo, avançado, que melhor rende. Não podemos andar a trocar -lhe as tintas todos os jogos. Ele tem que se consolidar numa posição.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é preconceito teu amigo. É verdade que na maioria das vezes os jogadores talentosos são como os Quaresmas desta vida. Salvio e Carcela são jogadores muito intensos a nível defensivo.

      Lembras-te da roleta que o Carcela fez no jogo anterior, na Luz? Ele fê-lo numa reacção a perda de bola. Qualquer outro dos talentosos que tu e eu conhecemos era bem capaz de nem sequer meter o pé. Aliás, é por ele meter o pé que teve as lesões que teve na sua carreira.

      O que acho que falta ao Carcela é estar mais dentro do jogo e dar-se ao jogo. Mas, acho que isto só virá com jogos e com mais confiança.

      Por tudo isto é fundamental que ele vá tendo tempo de jogo!

      Eliminar
    2. O Salvio é um poço de intensidade...modelado por treinadores como Simeone e Jorge Jesus. Carcela, ainda tenho algumas dúvidas que tal como aconteceu com o Ola John, comece bem, mas acabe muito mal.

      Eliminar
    3. O Ola John é um "nhaca". Muito talento, mas não tem a cabeça bem estruturada para ser um jovem profissional. É muito miúdo.

      Eliminar